Criatividade na hora de poupar é um diferencial

O ser humano é movido por metas, objetivos, razões, e por isso costumo dizer que para poupar é preciso ser criativo e que “quem poupa por poupar, gasta por gastar”. Avança com mais clareza e foco aquele que tem metas, objetivos e, principalmente, criatividade para poupar pensando no hoje e no amanhã.

Pensei em três formas criativas que podem te ajudar nessa busca, nesse processo de construção. A primeira delas, usei para um casal que fez consultoria comigo há anos e até hoje dou essa dica, inspirado naquele insight que veio à mente naquele momento como forma de motivar e dar clareza ao que se buscava. Eles tinham o desejo de comemorar cinco anos de casados fazendo uma viagem para Europa. Faltavam três anos para a data. Traçamos um plano com o objetivo, data e valor aproximado que precisariam. Fizemos a conta e vimos que precisariam poupar 50 euros por mês, que daria em torno de R$ 150 com a cotação da época. Viram que era possível e toparam o desafio. Muitas vezes, é importante materializar o sonho para que seja mais estimulante correr atrás dele. Por isso, sugeri que o casal comprasse um pote transparente, de plástico ou de vidro, e acumulasse ali os euros, que sugeri a compra mês a mês para, assim, chegarem ao preço médio da moeda. Com isso, os euros começariam a encher o recipiente, e eles iam ver o sonho tomando forma à medida que o pote ganhava vida e cores. Durante os primeiros anos de trabalho na área, usava muito o lema “Sonhar, Planejar e Realizar”, pois acredito que é possível realizarmos todos os nossos sonhos, basta ter planejamento. Nos exige dedicação e disciplina para seguir e cumprir o que foi planejado, consistência, mas nos leva à satisfação de alcançar nossos objetivos e de realizar nossos sonhos.

Outra boa forma de poupar é o “se pague primeiro”. Ou seja, antes de pagar qualquer uma das suas contas, destine um valor para você! Afinal, quem trabalha o mês todo? E não faz sentido algum você trabalhar apenas para pagar contas. Um amigo tinha o costume de passar um cheque para ele mesmo. Dizia que era boa a sensação de assinar aquele cheque, a sensação de quem trabalhou o mês todo e está “se pagando”, e que não era apenas um “pagador de contas”. Foi criativo e via no cheque mensal o estímulo para manter a sua busca. Assim como você tem outras obrigações financeiras mensais, tenha a obrigação de SE PAGAR, ou seja, se remunere, já que você corre atrás ao longo do mês e merece ficar com parte do que ganha e não só distribuir pagando contas e despesas corriqueiras do mês.

Uma outra forma pode ser usada por quem tem conta em bancos digitais, que tem como instrumento de depósito o boleto. Você pode gerar para que tenha a obrigação mensal de pagá-lo. Como sabemos, muitos brasileiros só “funcionam” com a pressão de um boleto, com valor e dia do vencimento definidos, não é mesmo? E mesmo que você não seja um deles, pode ser interessante gerar alguns boletos até o fim do ano e depois novamente, com o valor que você deseja se pagar todo mês, ou mesmo diferentes boletos, sendo um para cada objetivo, de forma que assim você torne palpável a corrida pelos seus sonhos.

E se for o casal, e ambos tiverem a possibilidade de gerar o boleto, podem definir o valor, e um paga o boleto do outro. Certamente, quem ainda não teve o seu boleto mensal pago, vai cobrar do outro, desta forma, fica a obrigação de poupar mês a mês, com direito à cobrança caseira. Use a criatividade, faça acontecer!

Existem muitas outras formas criativas de poupar. Tenha consciência da importância dessa atitude, de tudo o que esse hábito pode te proporcionar ao longo da vida e dê o primeiro passo! Faça isso de forma consistente, recorrente.