O melhor investimento para você!

O que trago hoje pode não ser um segredo, mas é o melhor investimento para você. Isso mesmo: certamente, você já se fez a pergunta de qual seria o melhor investimento no momento. Então, vamos lá, reflita comigo sobre isso.

Eu recebo essa pergunta com frequência, de uma série de pessoas diferentes e, simplesmente, não tenho uma resposta padrão, e desconfie se alguém te responder isso de pronto, e se for alguém que não te conhece o suficiente então, corra!

As pessoas me procuram para dizer que estão com uma quantia parada e querem saber onde investir, ou que poupam X ou Y por mês e perguntam onde botar. Será que existe resposta para essas perguntas? O investimento perfeito que, normalmente, elas procuram é aquele que tem uma alta rentabilidade, ou seja, alto retorno, no curto prazo e de uma forma que, praticamente, não se exponham a nenhum risco. Será que isso existe mesmo?

Mas como ter a resposta e o produto ideal para as pessoas? Em geral, eu não conheço as pessoas que me perguntam isso, não sei se são casadas ou solteiras, se têm filho(s) ou não, se têm o perfil poupador ou não, se estão trabalhando ou não, no meio público ou privado, quais os planos, objetivos, perfil de investidor (conservador, moderado ou arrojado). Não, realmente não há uma resposta pronta, padrão para essa pergunta, pode esquecer.

Na verdade, um bom investimento depende de uma série de fatores. Algumas dessas variáveis, eu vou pontuar para que você faça essa autoanálise e busque conhecimento necessário para encontrar o melhor produto que se adequa àquilo que você acredita e ao seu perfil. A primeira coisa que você tem que se perguntar é em relação à reserva de emergência. Já tem o valor correspondente a, pelo menos, seis meses das despesas mensais investido de forma adequada para esta finalidade? Se já tem, pode passar a investir em produtos que não precisam de alta liquidez, isto é, produtos da renda fixa com prazo maior e consequentemente maior rentabilidade e, quem sabe, sair da renda fixa, e se expor a mais riscos em busca de maior retorno.

Leia aqui sobre o cuidado com o supletivo no mundo dos investimentos

E esse é outro ponto essencial, entender qual o prazo, por quanto tempo você pode esquecer esse valor que pretende investir. Seria por seis meses, um ano, dois, cinco, dez anos ou a perder de vista? Você está seguro que não vai precisar nem tão cedo desse montante ou parte dele e pode realmente fazer um investimento de longo prazo?

Depois disso, você precisa entender qual o seu perfil de investidor. Ao procurar investir através do seu banco ou de uma corretora, uma das primeiras coisas que se faz é o teste de perfil de investidor, até para que você fique enquadrado de acordo com o resultado, para que tenha a liberdade / o limite de investir naquilo que é mais condizente com o seu perfil, seja ele conservador, moderado ou arrojado. Para cada tipo de investidor, tem possibilidades de investimentos diferentes, e é fundamental que tais opções e escolhas sejam aderentes ao perfil do investidor.

Investir é uma construção, não é algo genérico. Entender essa série de variáveis, vai ajudar a traçar melhor o plano de investimentos que você pode ter, mais condizente com o que busca e com os seus objetivos. Vale reforçar que o prazo do investimento está diretamente ligado à rentabilidade que você pode ter. Na maioria dos produtos, você vai conseguir um melhor rendimento no médio ou longo prazo, por isso esse ponto é essencial. O seu perfil como destaquei acima, é também essencial, a fim de abrir o leque de produtos que você tem aderência, tranquilidade para investir sem desviar da sua tolerância em relação à exposição ao risco.

Com esses pontos básicos de partida, você pode ter uma ideia de direcionamento e encontrar os melhores investimentos para a sua carteira. Realmente, é uma construção e esta não será feita apenas de um produto, mas aos poucos vem a diversificação e composição de sua carteira com diferentes produtos.

Uma coisa que você já deve ter ouvido falar é a máxima de “o que rende o melhor juro é o conhecimento”. Invista em conhecimento para entender melhor as suas metas, mapeie as suas necessidades, respeite os seus prazos e limites, respeite o seu perfil, para que possa fazer um bom plano, trabalhar bem a sua certeira. Desta forma, você vai estar pronto para fazer perguntas mais assertivas quando estiver diante do seu gerente ou assessor de investimentos, ou mesmo diante dos produtos no seu banco ou corretora para a sua escolha e investimentos.

Se você se conhecer melhor e souber as respostas das perguntas que eu trouxe aqui, certamente, vai dar mais subsídios para que o seu gerente ou assessor de investimentos te dê o melhor suporte e direcionamento possível, ou quem sabe até investir com mais autonomia, usando outros meios além destes citados para um suporte amplo, tendo mais independência para seguir firme nesse processo de construção.