Pacote de serviços essenciais: faça valer o seu direito

Hoje eu vim falar sobre algo que parece simples, mas muita gente desconhece e outros tantos conhecem, mas ainda não fizeram valer, estou falando do pacote de serviços essenciais.

Você paga uma tarifa, tem um pacote contratado junto ao seu banco? A maioria das pessoas não sabe responder isso, outras alegam que não pagam essa tarifa de manutenção de conta e se surpreendem ao analisar o extrato e ver que sim, pagam mensalmente. Quero trazer mais conhecimento e dicas sobre isso para que você aproveite da melhor forma, da que realmente se adequa ao seu perfil, necessidade e, claro, possa economizar.

Qual o pacote que você tem contratado junto ao seu banco? Se você pensou em R$ 15, R$ 30, R$ 70 ou qualquer outro valor, te digo: está errado. Isso, na verdade, é a tarifa que você paga para manter um pacote de serviços para a sua conta junto ao seu banco. Na maioria dos bancos, quanto mais alta essa tarifa, maior o número de serviços que contempla o pacote. Para você saber se paga e qual o valor, a melhor forma é tirar um extrato do mês anterior e analisar dia a dia identificando o débito com a descrição de “tarifa de serviços”, “pacote de serviços”, “cesta de serviços”. Cada banco tem uma nomenclatura diferente, mas é fácil identificar. E de repente você pode ir além, e analisar a presença de tal cobrança nos últimos três meses, por exemplo. O valor desse pacote não quer dizer que seja o total de suas despesas financeiras mensais, afinal, se você usar serviços avulsos que o seu pacote não contempla ou que você já passou do que ele oferece, paga por fora, e esses serviços avulsos podem ter um valor bem indigesto.

Agora que você já sabe que tem um pacote de serviços contratado, procure falar com o gerente, pesquise através do internet banking ou pelo chat, a fim de saber o que esse pacote te oferece. Normalmente, é uma quantidade de saques, transferências entre contas do mesmo banco, folhas de cheque (mesmo que a maioria das pessoas já nem use), extratos impressos, em alguns casos tem TED / DOC, entre outros serviços que não são muito utilizados.

Costumo dizer que o melhor pacote é aquele que cabe na sua mão como uma luva. Ou seja, não adianta você ter um pacote que contempla cinco TED’s por mês, se você usa apenas um. Está rasgando dinheiro, pagando mais do que precisa. Por outro lado, se você usa mais do que o seu pacote oferece, está pagando serviços avulsos, TED extra, o que sai caro.

Por isso, o ideal é que o seu pacote seja o mais adequado aos serviços que você utiliza. Estando atento a isso, você vai economizar um bom valor. Afinal, a relação junto ao seu banco deve perdurar por longos anos.

E o pacote de serviços essenciais, você já ouviu falar? Como o nome sugere, é um pacote que traz os serviços básicos e é um direito do consumidor, portanto gratuito, segundo a resolução 3.919, art 2, inciso I do Banco Central. Escuto muitos relatos de que existe uma certa dificuldade nos bancos ao pedir a adesão ao pacote de serviços essenciais. Eles se opõem e muitos negam esse direito do consumidor. O pacote essencial contempla quatro saques, duas transferências entre contas do mesmo banco, dois extratos mensais impressos e dez folhas de cheque por mês.

Faça valer o seu direito. São detalhes que, quando temos o conhecimento, conseguimos nos libertar e poupar. Essas pequenas economias ajudam a prosperar, pois nelas também conseguimos conquistas financeiras! E sem dúvidas, cuidando delas, a mentalidade muda, e a mesma atenção passa a ser dada para outras despesas ocultas do nosso dia a dia. Acredite, segundo pesquisa que vi recentemente, o brasileiro gasta de R$ 700 a R$ 800 por ano com tarifa de manutenção de conta, despesas de serviços financeiros no banco e anuidade de cartão de crédito.

Reta final do ano, começo de ano, costumamos repensar algumas coisas e pontos como esse nos faz enxergar como existem oportunidades de reduzir despesas que muitas vezes ignoramos, reforço: corra atrás, faça valer! Não despreze o valor que mensal pode parecer pouco, lembre que é uma despesa fixa e que pagas ela doze vezes por ano, ou seja, o valor é maior, se multiplica.

Olhos abertos ao que pode mudar em relação a essas despesas com o PIX fazendo parte do nosso dia a dia, e claro, não deixe de considerar a possibilidade de abrir uma conta num banco digital, que de modo geral não cobra tarifa de manutenção de conta, assim como TED, que deve cair em desuso gradativamente com a adesão que a população deve fazer ao PIX para transferências e pagamentos, uma vez que o mesmo é mais prático, rápido e gratuito para pessoa física.