Você já ouviu falar em suficientismo?

Naturalmente, “suficientismo” vem da palavra “suficiente”. E aí, eu te pergunto: o que é suficiente para você? Na tua vida pessoal, profissional, familiar, na riqueza que você pensa em construir.

O suficientismo vem do desafio de praticar, de tentar atingir aquilo que é suficiente para você. Encontrar o equilíbrio, o ponto que você entende que não precisa nem mais, nem menos para ter a vida que gostaria e que consegue equilibrar entre os momentos de tranquilidade, de convívio com os amigos, família, de trabalho e outros objetivos e realizações pessoais.

No livro entitulado “Chega de desperdício!”, de John Naish, tem muitas histórias e reflexões, das quais quero destacar uma. Numa pequena cidade do interior dos EUA, estava sendo gravado um filme que, adiante, foi bastante premiado em Hollywood. Uma queijaria daquele filme ficou bastante conhecida, virou ponto turístico na cidade. Todo o movimento que tinha, era em torno da queijaria. Então, a demanda aumentou significativamente e, num determinado dia, um grande empresário perguntou ao dono do estabelecimento: “por que você não duplica ou triplica a sua produção? Certamente, vai ter demanda, pois, mais uma vez eu chego aqui no começo da tarde e já não tem queijo para vender. Você pode crescer bastante com isso”. Muito tranquilamente, o senhor respondeu: “para mim, já é o suficiente”. Ou seja, não valia a pena aumentar a produção e, consequentemente, trabalhar muito mais, mais contato com fornecedores, aumentar o negócio e perder o tempo que tinha para conviver com a família e a vida tranquila que tinha antes da gravação do filme.

O que ele vendia, já proporcionava tudo o que ele buscava para a vida. Ou seja, o suficiente! Ele não teve gana para querer mais. Nós somos estimulados todos os dias a isso. Vale a pena, diante de certas situações, se perguntar “será que eu quero mesmo crescer ou o patamar que tenho hoje já é o suficiente?”. Elenque as suas prioridades e saiba o que é suficiente para você, busque esse equilíbrio!