Hora de partir para a ação: REcriar, REinventar, REsignificar, REvolucionar…

O momento de tensão financeira mais intenso está no ar: os primeiros dez dias do mês, com muitas contas vencendo, sobretudo nos dias 5 e 10, de forma que chegou a hora que muitas pessoas, muitas famílias, empreendedores e empresários, se deparam com a dura realidade. Contas que não serão pagas, outras quem sabe parcialmente, serviços que deverão ser cancelados, outras contas negociadas. É preciso cair em capo e agir, esse dia chegaria, o tempo não para e não se pode esperar o caos, mas se deve, sim, tentar se antecipar às situações que aos poucos vemos que são inevitáveis.

Por isso, reforço o convite para que, caso você ainda não tenha feito a sua projeção de abril, faça já!

Algo simples, mas absolutamente ignorado por muitos, e digo facilmente que não é pelo simples fato de ignorar, mas a realidade é que tem muitas pessoas paralisadas, não por escolha, mas infelizmente isso não traz soluções, mas sim depressão, angústia, e pode trazer a inércia total diante do que estamos vivendo. E outros tantos não fazem a projeção para o mês que está no ar pelo simples fato de não saber o que fazer. Vamos lá! Reforço, pois vale muito a pena!

Pegue um pedaço de papel, caneta, o Excel ou o que for mais prático para você e liste:

– Sua (s) receita (s), o ganho que você acredita que deve ter esse mês, isso mesmo, uma projeção;

– Indique todas as suas despesas, linha a linha, começando pelas despesas fixas, depois as variáveis, uma a uma, não deixe passar nada, não ignore os pequenos valores.

“Pequenos buracos afundam grandes navios, e o orçamento das pessoas e das empresas também”

Desta forma, você tem a percepção do cenário que te espera para o mês de abril, na sua casa ou no seu negócio e, com base nisso, pode se “antecipar” minimamente para algumas ações que devem ajudar a adequar, dentro do possível, o cenário do mês. Porém, sugiro que não percas tempo, já organize melhor esse fluxo entendendo, procurando ter uma visão de mais alguns meses adiante, siga os mesmos passos fazendo a projeção dos meses de maio, junho e julho, projetando assim com mais detalhes o que espera você adiante e as necessidades que devem surgir mês a mês. Seja no sentido de ACIONAR A SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA, de procurar empréstimos com familiares, amigos que por ventura possam ajudar nesta fase, ou mesmo, claro, junto a instituições financeiras. Falando das instituições financeiras, para mim ainda é uma incógnita no que tange essa concessão de crédito por parte delas.

Falei cerca de três semanas atrás na minha coluna semanal “É DA SUA CONTA”, toda terça, às 14h45 na Rádio Jornal, sobre este passo a passo acima, a fim justamente de orientar os ouvintes a se anteciparem para o mês de abril, identificando a necessidade de crédito ou não, uma vez que não está certo se o crédito, as taxas de juros e demais condições para diversas modalidades de empréstimo estão piores ou melhores a cada dia que passa.

Há quem diga que não valia pegar antes porque certamente os bancos e o governo facilitariam de alguma forma devido à pandemia. Outros, como eu, têm receio de, devido à demanda e risco, o crédito fique mais caro.

Independente das condições acima, é fundamental que você domine as suas finanças a fim de ter esses números em mãos. E não pare por aí: faça uma reflexão, uma busca geral em relação às ações que devem ser tomadas, anote-as, coloque prazos e corra atrás, faça acontecer, não adianta ficar esperando soluções e medidas do governo para resolver a sua vida, se vier algo positivo e que impacte diretamente o seu perfil, excelente, caso não, você já está em campo, AÇÃO!!!

Baseado neste orçamento feito, conforme sugerido acima, revise minuciosamente, veja que supérfluos ainda estão por ali, que gastos extras podem ser também cortados e que planos podem ser adiados ou mesmo cancelados. É partir para tática de guerrilha mesmo, com o foco na subsistência, quem pode ter mais que o básico, ótimo! Quem não está em condições, é VIVER A REALIDADE, um desafio para muitos de nós brasileiros, que em sua maioria vivem acima do que realmente podem.

Se tem alguma conta que não tem condição de pagar, um aluguel, serviço, o que for, se apresente, fale sobre o seu momento e dificuldade pedindo compreensão de quem está do outro lado e converse para ver o que é possível fazer. Não considere simplesmente não pagar e não dar notícias, isso mexe com a sua credibilidade.

Reúna todos os que moram com você, ou que de alguma forma você contribui ou demanda algum esforço financeiro, e converse, sentar em casa, fazer uma conferência ou chamada e envolver todos. É essencial que estejam no compasso, remando na mesma direção.

Por fim, digo sempre e mais que nunca, no momento, se enquadra para uma multidão:

“Situações extremas, atitudes extremas!”

E não basta pensar positivo, acreditar que tudo isso vai passar, porque vai mesmo, mais importante do que pensar isso, é agir para pavimentar o caminho de onde você quer estar quando tudo isso passar, é partir para a ação, REcriar, REinventar, REsignificar, REvolucionar…

Não jogue a toalha, não se entregue… o prefixo RE vem do latim, que indica “volta”, “repetição” ou “reforço”.Vamos pra cima!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *